12 de fev de 2013

Hannah Howell - A INTUITIVA


A INTUITIVA

Mais um encantador romance de Hannah Howell, com uma história sobre como o poder do destino e do desejo pode realizar coisas aparentemente impossíveis.
A Intuitiva é o terceiro volume da trilogia Vidente, onde já comentamos aqui na Casa de Livro, sobre A Vidente, A Sensitiva. Hoje então vamos comentar sobre o último volume, onde uma mulher jovem e com um dom sobrenatural, é a heroína.
Uma história sobre como o poder do destino e do desejo pode realizar coisas aparentemente impossíveis.
A história se passa na Inglaterra, no século XVIII, e como a maioria de seus familiares, Alethea Vaughn Channing possui dons especiais, e desde pequena ela tem visões de um homem desconhecido.
Alethea com seu dom de intuição faz parte da família Vaughn e Wherlocke, que são conhecidos por suas excentricidades e isolamentos da mais badalada sociedade de Londres. Mas existe algo que incomoda muito a nossa Intuitiva, suas visões com um garotinho que ocorrem desde quando ela tinha cinco anos de idade, isso perpassa os anos. Até que um dia ela tem uma visão da morte dele.
Alethea fica desesperada, ela vê o rosto do garoto em toda parte, ela precisa encontrá-lo.
Alethea também é assombrada pela visão de um homem em perigo, o mesmo que aparece em seus sonhos há algum tempo. Ela não sabe o seu nome, nem quem ele é. Mas a atração é forte e imediata, algo que ela não consegue controlar nem fugir. A única coisa que ela tem certeza é que o perigo esta perto e ela precisa encontrá-lo o mais rápido possível.
Alethea conseguirá encontrar alguém que nunca viu?
Lorde Hartley é um conquistador, mas é tudo fachada, pois ninguém pode saber que ele esta ali a serviço do governo. Ele precisa prender Claudette uma traidora, que se faz de pobre coitada, e é foragida da guerra na França, seu país de origem. Mais quando conhece Alethea e o tio da mesma, Lorde Iago Vaughn, ele acaba descobrindo uma trama bem maior no qual lhe custará à própria vida.
Porém Hartley Greville é capaz de se proteger sozinho, assim como vem provando durante anos, em seu trabalho como espião. Ele teima em ignorar os avisos de Alethea, mas existe algo forte que o prende a ela.
Quem será essa estranha mulher?
Claudette descobre a proximidade entre os dois, e sabe que juntos estão lutando para desmascará-la. Mas ela sabe que sempre consegue fugir.
Claudette é linda, tem um belo charme, mais quando ela coloca em risco a vida de Alethea, Hartley decide agir de forma mais agressiva, ele irá fazer de tudo para salvar seu verdadeiro amor das garras dessa víbora.
Mas ele não irá sozinho, Lorde Argus Wherlocke, quase uma lenda da família, com seu poder de fazer as pessoas falarem todos os seus segredos mesmo contra a sua vontade, Lady Ophelia Wherlocke, também irá ajudar, com seu dom de ver tudo o que aconteceu no local mesmo depois de ocorrido há algum tempo.
Claudette agora não tem mais como escapar, mas ela conseguirá acabar com a vida de Alethea?
Um romance épico maravilhoso, onde Hannah Howell explora todos os elementos e personagens com perfeição.


Casa de Livro recomenda!


Pelo pouco que sabia sobre os homens, eles eram muito bons em enxergar as mulheres como imaginavam que elas devessem ser e não como de fato eram.


Harpist - Maxine Molin Rose

Titulo: A Intuitiva
Titulo Original: If He’s Wild
Autor: Hannah Howell
Ano: 2011
Páginas: 205
Editora: Lua de Papel.

Boa Leitura

Casa de Livro Blog

Karina Belo 


- Muito louvável da sua parte, mas não foi exatamente isso que perguntei, foi?



Nós, os Vaughn, e nossos parentes próximos, os Wherlocke, há muito tempo somos considerados incomuns, eu diria. Incomuns de um modo que custou a vida de muitos dos nossos ancestrais, pois eles foram julgados, condenados e executados por práticas de bruxaria.



- Venho tendo visões com o senhor há muito tempo, desde os meus cinco anos de idade. – Ela observou os amigos de Hartley aproximando-se para dar uma olhada nos desenhos quando Hartley murmurou um palavrão e ficou pálido. – É por isso que eu lhe entreguei o meu bloco de desenhos. Bem a maioria são desenhos seus. Algumas vezes apanhei o bloco errado enquanto ainda estava confusa após uma visão. Não o vejo o tempo todo, mas o vi pelo menos uma vez ao ano, ao longo dos últimos quinze anos.


- Ah eu acredito... E não. Na verdade, não quero acreditar. Mas, mais uma vez, tenho de concordar com que Alethea disse sobre almas e espíritos. Existem muitas coisas em que acreditamos, mas das quais não temos provas, coisas que podem desafiar a lógica. Deus, Satanás, Anjos, Almas, Céu e Inferno. Nunca vi nenhuma prova disso, mas acredito. E como foi dito por Shakespeare em Hamlet: “Há mais coisas entre o céu e a Terra, Horácio, do que sonha a tua vã filosofia”.


Alethea fechou os olhos e se esforçou ao máximo para limpar da mente todos os pensamentos assustadores que lutavam para lhe roubar o sono. Ela iria esperar e ver o que ele ia fazer e dizer nos próximos dias. “Se ele não repetir a declaração, que seja”, ela pensou. Alethea aceitaria se aquilo não tivesse sido dito no calor do momento, ou num delírio causado pela dor? Só então ela poderia escolher em acreditar nele e gentilmente colocar seu coração em suas mãos.

- Alethea.

Ela passou a mão dele sobre o seu baixo-ventre.

- No dia que o salvamos, Olímpia me contou que havia uma criança, mas eu ainda não tinha tido nenhum sinal. Sim Hartley, você será pai daqui a sete ou oito meses.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente: