1 de out de 2014

O CORAÇÃO DO MENINO E O MENINO DO CORAÇÃO - (A Menina Sem Palavra) - Mia Couto.


Mia Couto nos apresenta novamente uma história emocionante.
Através da leitura da obra “A Menina Sem Palavra” consegui constatar que o autor escreve com a alma, com o coração.
Os contos por ele escritos são envolventes de uma forma única. É impossível não se identificar, não refletir, e não amar de formas distintas, cada personagem por ele descrito.
“O Coração do Menino e o Menino do Coração” nos mostra uma história singular.
Um garoto que não conseguia se expressar por palavras. Na época, sua família não sabia a existência de atrasos mentais, ou problemas congênitos. Poderia ser essa a causa de tanto sofrimento para o garoto.
Os médicos queriam estudá-lo, encontrar uma cura ou pelo menos um caminho sobre o que realmente existia com o garoto, para poder ajudar ao mesmo, ou outras pessoas.
Porém a família não concordou com tais projetos.
O coração do menino pulsava, como se existissem milhões de minúsculos corações dentro dele, batendo em um ritmo frenético.
Tudo se intensificava quando sua prima Marlisa estava por perto.
O menino era completamente apaixonado por ela. Várias cartas ele escreveu.
Ela nunca abriu nenhuma.
Um garoto que não sabe se expressar por palavras, que sempre fala enrolado, como poderia ele escrever?
Nunca ninguém acreditou na capacidade do garoto, não acreditavam que ele poderia ser um menino comum, como tantos outros.
Mas quando o pior aconteceu, foi que tudo veio à tona.
Ele sabia sim escrever. E nas cartas continham revelações únicas.
Mia Couto nos transportou para uma vida magnífica, nos fazendo entender e viver através de um garoto totalmente amargurado.
Casa de Livro Recomenda.


Titulo: O Coração do Menino, E o Menino do Coração - A Menina Sem Palavra.
Autor: Mia Couto
Páginas: 160
Ano: 2013
Editora: Boa Companhia

Boa Leitura
Casa de Livro

Karina Belo.




Aquilo não eram cartas, mas versos de lindeza que nem cabiam no presente mundo. Marlisa inundou a tristeza, tingiram-se as letras. Quanto mais à prima primava em seguir leitura mais rimava com nenhuma outra mulher, toda ela fora do contexto de existir. A moça se apaixonava postumamente?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente: