1 de set de 2013

O CEMITÉRIO – STEPHEN KING

Mais uma vez surpreendida por Stephen King. Confesso que não li muitas obras de tal autor, porém as que tive a oportunidade de conhecer adorei. O cemitério, assim como Os Olhos do Dragão, já comentado aqui na casa de livro, sem dúvidas entrou para a lista dos que eu mais gostei.
Em O Cemitério, somos transportados para a pacata vida de Louis Creed.
Louis, ou Lou como era chamado por seus entes queridos, era um médico que foi convidado para trabalhar na enfermaria de uma universidade na tranquila cidade de Ludlow.
Querendo realmente mudar um pouco o rumo de sua vida, e conhecer novos lugares, ele juntamente com sua esposa Rachel e seus dois filhos: Ellie e Gage, foram para a cidade de Ludlow em busca de uma nova vida. Mas eles não poderiam imaginar o que estava prestes a acontecer.
A cidade era pacata, incrível, os vizinhos adoráveis. Um lugar onde Louis e Rachel estariam tranquilos para criar e educar seus filhos. Mas aquela cidade guarda segredos que ninguém consegue imaginar.
Jud Crandall, vizinho do casal Creed, foi conhecê-los no próprio dia da mudança. Louis gostou de cara do velho, era simpático e foi logo convidando o Dr. para tomar umas cervejas com ele a noite.
Ele então contou sobre o cemitério de bichos, ou melhor, “simitério” de bichos. Ellie tinha um gato, Church e logo quis saber mais sobre o lugar.
 Jud então levou a família inteira para que pudessem conhecer, mas aquele lugar sinistro e mágico acabaria arruinando a vida daquela família, até então, feliz.

Os dias passaram sem muitas surpresas. Até que Rachel e os filhos foram para a casa dos pais dela, e deixaram Louis sozinho em Ludlow.
Esse foi o início do fim.
A avenida em frente à casa de Louis era muito movimentada. Vários animais de estimação já morreram ali durante o decorrer dos anos.
E Church, foi uma de suas vítimas. A princípio ele não sabia como iria a dar noticia a sua filha Ellie. Foi então que Jud disse que o ajudaria a enterrar o gato em um lugar, mas que era melhor ele não contar nada a sua filha por enquanto.
Foi então que Louis, carregando o bixano de sua filha, conheceu o cemitério micmac, que ficava além do simitério de bichos.
Mesmo exausto de tanto andar, e de carregar o peso de Church, parecia que aquele lugar o chamava, o prendia ali.
Louis enterrou o gato, e foi para casa.
Foi então que uma surpresa aconteceu, Church apareceu. Ele estava em casa, junto com Louis.
O gato que ele enterrou com tanto esforço, que ele viu morto, estava ali diante de seus olhos.
O médico tentou encontrar várias explicações racionais para aquilo que estava acontecendo, mas ele sabia que não tinha explicação. O gato voltou diferente meio abobalhado e com cheiro de Terra, no entanto era Church. Ele voltou para casa, para Ellie. Jud Crandall o fez voltar.
Louis nada disse a sua filha nem a sua esposa, aquele foi um segredo que guardou consigo, mas foi pedir explicações para Jud.

Foi então que descobriu as mais loucas e sinistras histórias sobre o cemitério micmac. Se era verdade ele não poderia jurar, mas o gato estava ali como prova de que o lugar tinha sim uma espécie de poder ou maldição.
Mais uma vez a vida da família estava normal. Todos voltaram de viagem e foram encontrar o pai. Ellie achou Church um pouco estranho, mas para uma menina de cinco anos, não se preocupou tanto com isso.
Gage com seus quase dois anos de vida, só pensava em brincar e correr.
E em uma dessas corridas, que Louis não conseguiu segurar o filho e ele foi morto assim como Church, na avenida em frente a sua casa.
Seu filho Gage, de apenas dois anos, com toda uma vida pela frente. Morto.
Louis se vê perdido, sem saber o que fazer.
Ele sabe que sua filha e sua esposa, passando pela mesma dor, precisam dele. Mas é impossível ajudar ou consolar alguém, ele não tem forças.
O cemitério Micmac tem poderes, e estão chamando, clamando por Louis, para que ele possa alimentá-lo.
Agora um pai com o coração em pedaços se vê diante de uma escolha terrível.
Ele deve escolher entre agir com a razão, ou deixar que a loucura dentro dele comande seu corpo e seu coração.
Uma obra maravilhosa que nos prende do começo ao fim. Onde Stephen King usa e abusa de elementos místicos e surreais para compor uma trama tão detalhada, que é como se o leitor estivesse sentindo todo o poder daquela cidade amaldiçoada.
Casa de Livro Recomenda.



E Jesus disse a eles: “Nosso amigo Lázaro dorme, mas vou até lá, porque posso despertá-lo de seu sono!”.


Titulo: O Cemitério.
Titulo Original: Pet Sematary
Autor: Stephen King
Ano: 1983
Páginas: 612
Editora: Ponto de Leitura.

Boa Leitura,

Casa de Livro Blog.


Karina Belo


Ellie estava devidamente alertada, impressionada mesmo, mas não com medo, Louis constatou. Rachel, porém, contemplava Jud com ar inquieto, e Louis também se sentiu um tanto apreensivo. Era, ele supunha, o medo quase instintivo que as pessoas criadas na cidade têm das florestas.




Rachel tinha gritado de novo: Gage, volte, não CORRA!
Mas Louis não perdeu tempo. E foi se aproximando cada vez mais, cada vez mais de Gage, e , sim, uma daquelas coisas realmente aconteceu: de algum lugar, lá no fim da estrada, veio o ronco de um caminhão se aproximando...
Oh, meu bom Deus, oh meu bom Jesus, deixe-me pegá-lo, não deixe que ele passe para a estrada.




Alguma coisa está querendo me fazer dormir... Hipnotizando-me... Não quer que eu fique acordado. Porque ele logo estará de volta. Sim, eu sinto isso. E alguma coisa quer me deixar fora do caminho.




Os passos cessaram bem nas suas costas.
Silêncio.
A mão fria caiu no ombro de Louis. A voz de Rachel era um chiado que parecia cheio de terra.

- Querido – disse a coisa.

2 comentários:

  1. Eu amo o Stephen, lendo o cemitério agora, estou na metade

    ResponderExcluir
  2. Priscila Magalhães.
    O Livro e incrível, Stephen King realmente é magnífico em suas obras.

    ResponderExcluir

Comente: