13 de fev de 2015

CRÔNICAS DE SILBERY – Priscila M. Palmeira.


Priscila M. Palmeira, grande parceira do Blog Casa de Livro. Já tivemos a honra de resenhar algumas obras e também contos, escritos por essa talentosíssima autora.
Fomos presenteados com um exemplar de sua obra mais recente “Crônicas de Silbery” que tem o poder de encantar logo pela capa.
Uma história comovente que nos emociona e nos leva para um mundo mágico.


Quatro irmãs que lutarão juntas, mostrando todo o amor que sentem umas pelas outras.
Vera tem dezessete anos. A filha mais velha de Raquel e também seu braço direito.
Após a morte do marido, Raquel passou a trabalhar o dobro para conseguir dar conta de sustentar suas quatro filhas. Mesmo estudando, Vera ajudava a mãe em todos os sentidos. As irmãs mais novas eram praticamente criadas por ela.

Joana tinha por volta de seus quinze anos. Após a morte do pai, nunca mais voltou a ser a menina dócil e gentil. Estava sempre mal humorada, nada conseguia agradá-la, e o que mais adorava era irritar suas irmãs.
Sofia com seus sete anos, já é fascinada por aventuras. Uma garota forte e brincalhona que está sempre descobrindo as coisas e aproveitando os momentos.
Milca tem apenas três anos de idade. Ainda depende de sua irmã Vera e de sua mãe, para tudo.
O que possuem em comum? Um instinto de proteção único, e um amor que ultrapassa barreiras.
Após dois anos, do falecimento de seu pai, as coisas estavam começando a voltar ao normal. Sua mãe trabalhava absurdamente sim, mas elas estavam começando a voltar a viver.
Mas uma nova tragédia se abateu sobre aquela família. A casa em que moravam pegou fogo. Nada foram salvo, elas estavam sem um lar.


Raquel não sabia o que fazer, ela não poderia continuar morando de favor com as filhas.
Foi quando decidiu pedir ajuda para tia Gertrudes. Uma senhora que não demonstrava nenhum tipo de afeto por ninguém, e que humilhou Raquel, quando a mesma decidiu se casar com um homem simples.
Mas ela não tinha escolhas. Gertrudes era a única que poderia dar um lar confortável para suas filhas.
Mesmo contra a vontade, as pequenas foram para a mansão da tia.
Não queriam ficar longe da mãe, mas entendiam a sua decisão. E seria por pouco tempo.
Os dias não eram normais naquele novo lugar. Sempre se sentiam observadas. O aspecto era sombrio.
Em uma volta pela propriedade, adentraram um bosque. Foi quando toda a aventura começou.
Joana caiu em um poço, e suas irmãs foram atrás para salvá-la.
Viram-se em um mundo encantado, cheio de Elfos, anões, reis fadas e muito mais, e claro, uma terrível bruxa, a senhora das sombras.


As criaturas mágicas que as encontram, revelam uma profecia. Quatro irmãs, humanas, que desceriam até o mundo de Silbery e as libertariam das garras de Yanna, a senhora das sombras.
Vera e Joana se sentem incomodadas com tal revelação. Elas não acreditam que possam ser as guerreiras da profecia citada.
Sofia e Milca estão encantadas com tudo ao redor.
Mas ao tentarem sair desse mundo e voltar para a casa de Tia Gertrudes, as batalhas começam a surgir.
São separadas pelos seres das trevas, e precisarão lutar para encontrar uma forma de manterem-se vivas.
O Segredo do Bosque será revelado.


As irmãs descobrirão elos poderosíssimos, que poderão levá-las a ruína.
Elas conseguirão salvar o mundo de Silbery?
Salvará todas as criaturas que ali residem?
Quatro crianças serão capazes de salvar um mundo?
Uma história linda, fantástica e encantada, que todos devem ler.
Casa de Livro Recomenda.

Num mundo paralelo onde criaturas do bem são subjugadas por criaturas do mal, quatro meninas serão a única chance de um mundo justo e feliz.
Quem irá vencer?

Titulo: Crônicas de Silbery – O Segredo do Bosque.
Autora: Priscila M. Palmeira.
Ano: 2014
Páginas: 212
Editora: Dimensões Ficção.

Boa Leitura
Casa de Livro.

Karina Belo.



Muito rapidamente, o bombeiro passou ao sargento a pequena Milca e, em questão de segundos, já segurava a cintura de Vera junto a si, ajudando-a a passar para a escada.
Já no chão, abraçada peã mãe e por Sofia, Vera chorava numa mistura de soluços e murmúrios incompreensíveis. Estava muito assustada e ainda não compreendia o que havia se passado. Num minuto, havia subido para fazer sua irmã dormir e, no momento seguinte, a casa tinha pegado fogo.

 

- Bem, de acordo com o que está escrito aqui, quando chegasse a hora das quatro guerreiras serem enviadas para derrotar a era das sombras e proteger a Terra dos pequenos, o elo entre o mundo dos humanos e o mundo das criaturas mágicas se abriria.

 

Joana não gostou do final, os demais poderiam estar em terrível situação ou, pior, poderiam estar mortos. Se antes queria ir embora o mais depressa possível, agora, então...
Por mais que lhe fosse difícil, reconhecia que devia ter dado ouvidos a Vera quando esta lhe disse para irem embora do bosque e deixar aquele poço para trás. Odiava ter de lhe dar razão.





Centauros agora usavam toda sua força e puxavam aquele monstro de quatro braços para o chão. Namaih vacilava, mas erguia-se novamente, lançando os elfos para longe, enquanto centauros subiam do chão e caíam novamente feito ventríloquos, presos às cordas.

2 comentários:

  1. Obrigada Priscila.

    Você é uma grande escritora e uma grande amiga.

    Att, Casa de Livro.

    ResponderExcluir

Comente: