31 de jul de 2012

Nicholas Sparks - A ÚLTIMA MÚSICA


Mais uma vez Nicholas Sparks nos mostra porque é considerado o mestre do romance moderno e porque seus livros são adorados por leitores de todo o mundo. Seguindo a tradição de seus mais belos romances, ele agora nos apresenta uma comovente história sobre família, amizade, amor, amadurecimento e especialmente sobre como perdoar e recomeçar.
Em, A Última Música somos apresentados à vida de uma menina de dezessete anos, Verônica Miller, ou simplesmente Ronnie.
Ronnie vê sua vida virar de cabeça para baixo quando seus pais se divorciam. Para ela a culpa sempre foi de seu pai, ele que fez com que sua família fosse separada, ele que desgraçou sua vida.
Mesmo com o coração partido, Steve Miller, pai de Ronnie, não conta a verdade a sua filha. Decidindo ir morar na praia de Wrightsville, na Carolina do Norte ele passa a viver uma vida tranquila, ele é um ex-pianista e viverá absorto na criação de músicas e de uma obra de arte que será a peça central da igreja local.
Ronnie transforma-se numa menina difícil de lidar, rebelde, desobediente, sua mãe não consegue mais controlar a filha, e mesmo depois de três anos ela continua magoada com seus pais pela separação e fica cada dia mais distante deles, principalmente do pai.
Steve descobre que esta com uma grave doença, e pede para que Ronnie e seu irmão, Jonah, passem as férias de verão com ele na Carolina do Norte.
Ronnie acaba cedendo, reclamando durante a viagem toda, ela não quer olhar para a cara do pai, ela não quer passar as suas férias em uma cidade onde não tem nada para fazer e ninguém interessante. Ela queria muito mais ficar na cidade com suas amigas, em baladas, bebendo e usando drogas.
Quando chegam à praia de Wrightsville, seu pai fica muito feliz, não sabe o que fazer para agradar os filhos. Jonah adora passar esses momentos com o pai, se divertindo e brincando. Já Ronnie quanto mais tempo ela consegue ficar sozinha, melhor.
Steve não tenta ultrapassar os limites da filha, ele a deixa se adaptar, mas será inevitável uma conversa mais franca. Mas Ronnie rejeita toda e qualquer tentativa de aproximação dele e ameaça voltar para Nova York antes do verão acabar. É quando Ronnie conhece Will, o garoto mais popular da cidade, e conforme vai baixando a guarda que tudo começa a mudar.
A princípio ela tenta de todas as maneiras lutar contra seus sentimentos. Ela não pode se apaixonar por Will, mas ele se torna tão especial em sua vida que é inevitável.
Mas Ronnie também apronta muito durante as suas férias, lendo a obra de Nicholas Sparks, criamos sentimentos distintos por essa menina. Ela tenta de todas as maneiras atingir o pai, ela faz tudo para magoá-lo achando que assim ele irá sentir tudo o que ela sentiu. Mas Verônica nem imagina que para Steve tudo foi muito pior, principalmente pelo fato de ter que ficar longe de seus filhos.

Quando Ronnie assume o que esta sentindo por Will e decide dar uma chance para ele e também para o seu pai, abrindo-se para uma experiência que lhe proporcionará uma imensa felicidade, e dor, jamais sentida. Steve conta tudo o que aconteceu, e também conta sobre sua doença.
Ronnie não pode suportar, não pode ser verdade. Ela sempre teve uma história formada em sua cabeça, ela sempre acreditou que seu pai fosse o culpado pela separação, e, no entanto ela nunca soube de nada, sempre esconderam dela.
Após essa conversa seu pai é internado, o estado de saúde dele piora gradativamente. Ronnie que passou anos e anos e anos sem tocar um piano, com o intuito de punir seu pai por tudo, o que na mente dela acreditava que teria feito, senta-se em frente ao piano de Steve e observa uma música que ele estava lutando para fazer. Uma última música, que Steve Miller estava compondo para sua filha, para mostrar a ela todo o seu amor. E após três anos Ronnie irá terminar a música com seu pai, A Última Música.

Uma história inesquecível de amor, carinho, compreensão, que nos faz relembrar o primeiro amor, que nos mostra um amadurecimento, a relação entre pais e filhos, o recomeço e o perdão.
A Última Música demonstra como, só Nicholas Sparks consegue, as várias maneiras que o amor é capaz de partir e curar seu coração.  

Olhando pela janela, Ronnie queria saber se o pastor Harris já teria chegado à igreja. E ao olhar para as ondas quebrando na praia, imaginava se ele conseguiria notar o jogo de luzes no vitral no alto da entrada da igreja. Talvez não, a janela tinha sido instalada havia mais de um mês, e, afinal de contas, ele deveria estar muito ocupado com outras coisas para perder tempo olhando para ela. Mesmo assim, Ronnie tinha esperança de que o recém-chegado passasse pela primeira vez em frente à igreja naquela manhã e tivesse a mesma sensação de admiração que ela teve ao ver as luzes pela primeira vez, em um dia frio de novembro. E esperava também que o visitante perguntasse a si mesmo quem havia feito a janela, ao admirar sua beleza.
  

Titulo: A Última Música.
Titulo Original: The Last Song
Autor: Nicholas Sparks
Ano: 2009
Páginas: 383
Editora: Novo Conceito


Boa Leitura

Casa de Livro Blog

Karina Belo

 
O Amor é frágil, Ronnie. E nem sempre cuidamos dele muito bem. A gente se vira e faz o melhor que pode, e torcemos para que esta coisa frágil sobreviva apesar de tudo.
Às vezes é preciso se afastar das pessoas que você ama, mas isso não quer dizer que você os ama menos, às vezes, você os ama mais...

A vida, entendeu, era bem parecida com uma música. No começo há mistério, no final confirmação, mas é no meio que reside à emoção e faz com que a coisa toda valha a pena.


Tenho fé de que Deus irá lhe mostrar a resposta. Mas é preciso entender que, às vezes, leva um tempo para conseguir reconhecer o que Deus quer que façamos. É assim que frequentemente acontece. A voz de Deus é geralmente nada mais que um suspiro; e você tem que estar muito atenta para conseguir ouvi-la. Mas há raros momentos em que a resposta é óbvia e parece soar tão alta em nossos ouvidos como um sino de igreja.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente: