16 de set de 2014

A FILHA DA SOLIDÃO - (A Menina Sem Palavra) - Mia Couto.


Mia Couto, sem dúvidas vem marcando seu nome como um dos melhores da literatura.
Seus contos são irresistíveis, uma leitura que nos dá total prazer.
“A Filha da Solidão”, mais um conto que faz parte do livro “A Menina sem Palavra”, onde o autor nos mostra suas mais variadas facetas.
O conto nos mostra a história de Meninita, uma garota branca que morava com seus pais no interior.
A garota cresceu ali naquelas terras. Sem amigos. Sem brincadeiras. Apenas trabalho e a vida ao lado de sua família.
Seu pai era racista até a alma.
A garota não podia falar nem “Oi” para os negros que ali se encontravam. Clientes do pai de Meninita, que eram tratados como “pretaiada” aos  seus olhos ignorantes. 
Mas ao passar dos anos, a solidão em que se encontrava Meninita, foi machucando-lhe o coração.
A garota carecia de afeto.
Precisava de carinho.
Almejava atenção.
Um namorico qualquer que pudesse lhe aquecer a alma, e fazer com que se sentisse viva.
Meninita foi ficando doente. Sua solidão era algo que a estava matando.
Seus pais estavam preocupados com a menina.
Febre, delírios.
Ninguém entendia o porquê daqueles sintomas. Nenhuma doença física foi detectada.
Mas a alma de Meninita estava em frangalhos.
Apenas uma coisa poderia salvá-la.
Preencher essa solidão, com pessoas que ela tanto amava, e esperava.
O que Meninita irá fazer para mostrar a verdade aos seus pais?
Um homem ignorante irá aceitar a revelação da filha?
Mia Couto novamente nos surpreende com uma história magnífica.
Casa de Livro Recomenda.

 

Titulo: A Filha da Solidão - A Menina Sem Palavra.
Autor: Mia Couto
Páginas: 160
Ano: 2013
Editora: Boa Companhia

Boa Leitura
Casa de Livro

Karina Belo.




Era como nascesse em si uma alma já morta. Tristeza igual só essas mães que dão à luz um menino inanimado. É justo poder-se assim visitar os paraísos e nos expulsarem? Lhe custaram tanto essas despedidas de si que passou a evitar seu próprio corpo. Vale a pena é trocar carinhos, receber as salivas do ventre de um outro. Mas outros ali não havia para a donzela Meninita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente: