19 de dez de 2014

OS IMORTAIS DE MELUHA – (Trilogia Shiva – Livro 01) – Amish Tripathi.



Parceria formada com a editora NVersos, e o primeiro exemplar encaminhado ao Blog Casa de Livro é de tirar o fôlego.
A Trilogia Shiva, escrita pelo indiano Amish Tripathi, veio para conquistar seu lugar de destaque na literatura fantástica.
O autor criou personagens cativantes e odiosos, conseguiu criar sociedades distintas e com seus dialetos específicos nos levou para uma aventura impressionante.
“Os Imortais de Meluha” o primeiro volume dessa trilogia, nos mostra o momento em que Shiva, um jovem guerreiro chega à cidade de Meluha.


Meluha tem uma sociedade quase perfeita, com suas leis seguidas à risca, a cidade não possui miséria, nem roubo nem doença.
Lorde Rama, o grande Deus guerreiro que ali viveu, deixou seus ensinamentos mais puros para aquela humanidade. Porém alguns ataques terroristas estavam ocorrendo no local, ameaçando a população e principalmente o Imperador Daksha e sua família.
Conforme era escrito nas profecias, Lorde Rama deixou especificado que um guerreiro sem casta surgiria para ficar em seu lugar. Ele conseguiria destruir o mal, ele seria o Mahadeva, o Deus, o verdadeiro Neelkanth.
Quando Shiva chegou a Meluha não poderia imaginar o que lhe esperava, foi submetido a tomar o Somras, uma poção mágica que traz a imortalidade ao ser humano.
Todas as imperfeições de seu corpo foram curadas, sua garganta passou a emanar um forte brilho azul.
Os Meluhanos ficaram em polvorosa, o grande Neelkanth chegou. Finalmente eles estão a salvo, será o fim do mau, será o fim dos terroristas, será o fim dos Chandravanshis.
Enquanto Shiva tentava entender o que estava acontecendo em sua vida, lutava para conquistar o respeito e o amor de Sati, filha do Imperador Daksha. Mas um grande segredo poderia impossibilitá-los de ficarem juntos.


Daksha e seus generais começam a planejar um meio de atacar os seus inimigos.
Irão apresentar o Neelkanth a todos os indianos, irão levar a Shiva a obter o respeito de todas as sociedades que ali vivem.
Mas durante a grande peregrinação, atentados ocorrem, amigos de Shiva morrem e a guerra é declarada.
Uma guerra brutal que resulta em milhares de centenas de morte, que Shiva carregará para sempre em suas mãos.
Uma guerra contra uma sociedade que era considerada diferente, do mal, terrorista.


Eles juram inocência. Shiva não pode se dar ao luxo de acreditar, ele precisa proteger Sati.
Mas os Chandravanshis pedem misericórdia. São os Nagas que estão aterrorizando Meluha, eles não tem nenhum tipo de envolvimento.
Shiva descobre então toda a verdade por trás da Guerra.
Entende o porquê se tornou o Neelkanth.
Encontra as respostas que o fazem acreditar que é o Mahadeva.
Shiva só tem um objetivo: proteger Sati.
Ele irá encontrar os verdadeiros terroristas, e todos pagarão por todas as mortes que realizaram.
Quem é o verdadeiro vilão dessa história?
Shiva será capaz de conquistar uma sociedade inteira e usá-la a seu favor?


Uma história emocionante, envolvente e maravilhosa.
Casa de Livro Recomenda.



Vejo cem mil Mahadevas diante de mim! Vejo cem mil homens dispostos a lutar ao lado do bem! Vejo cem mil homens dispostos a batalhar contra o mal! Vejo cem mil homens capazes de destruir o mal!



Titulo: Os Imortais de Meluha - Trilogia Shiva - Livro 01
Titulo Original: The Immortals of Meluha
Autor: Amish Tripathi
Páginas: 391
Ano: 2008
Editora: NVersos.

Boa Leitura
Casa de Livro

Karina Belo.





Como pude ter imaginado que Sati acharia meu toque profano? Como sou tolo!
“Se algo acontecer com você por minha causa, nunca vou poder me perdoar”. O que ela quis dizer com aquilo? Que tem sentimentos por mim?Ou que apenas é uma mulher honrada que não consegue suportar ser a causa do infortúnio de alguém? E por que ela poderia se julgar inferior? Todo esse conceito de carma ruim é extremamente ridículo!




Shiva havia verificado quatro Nagas, e nenhum tinha o bracelete com o Om de serpentes que ele vira antes. Chegou até o último, o que havia atirado em Sati – o que retalhara em pedaços – e chutou seu tronco com ódio intenso. Olhou em volta à procura do membro cortado e levantou para verificar o pulso. Nenhum bracelete de couro. Não era ele.



Shiva colocou-se de pé, seu coração pesado de culpa, sua garganta sufocada pelo amargo remorso, a presunção cor de chumbo de sua alma esmagada pela generosidade do velho. Ele tinha sua resposta: tinha cometido um erro terrível. Aquele povo não era mau.




O Naga colocou a mão para trás e puxou o punhal do tronco. Porém, em vez de arremessá-lo contra Sati ou Shiva, ele o prendeu apertado no pulso direito com uma tira de tecido. E então começou a avançar – e avançar rápido.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente: