11 de jun de 2015

O SIMPÓSIO - (Risíveis Amores) - Milan Kundera.


Risíveis Amores é um livro recheado com contos incríveis que nos mostra todo o talento de Milan Kundera.
O conto que iremos comentar “O Simpósio” é uma história intrigante e ao mesmo tempo divertida.
Dentro do hospital, um grupo de amigos entre eles enfermeiros e médicos. Decidiram beber para socializar uns com os outros.
Mas enquanto a bebida agia em seus organismos, eles foram ficando mais soltos e revelações foram acontecendo.
Fleischman era o mais novo deles, um estagiário que era apaixonado pela Dra Chefe.
Uma mulher atraente na casa dos trinta anos.
Fleischman era um garoto esforçado e que gostava de respeitar as pessoas ao seu redor.
Mas às vezes era grosso, estúpido, sem entender o porquê.
Durante aquela noite, ele estava disposto a todo custo a conquistar a Dra.
Mas será que ela também se interessava por ele?
O rapaz via sinais naquela mulher, mas será que estava fantasiando?
O que ela não poderia imaginar é que Elisabeth, uma das enfermeiras do local, era apaixonada por ele.
Alguns de seus amigos alertaram sobre Elisabeth, mas ele não se sentia atraído por ela.
E não se esforçava nem para ser educado com a garota.
Fleischman não acreditava que poderia estar machucando uma pessoa que não tinha nenhuma relação.
Mas Elisabeth era obcecada.
Tudo o que fazia era para chamar atenção do rapaz, para sentir-se admirada por ele, para sentir-se desejada.
Porém totalmente machucado por conta de um amor não correspondido, Fleischman estava cedo de ódio.
Não queria saber de nada nem ninguém em sua frente.
E magoou Elisabeth profundamente.
Um amor que pode mudar o rumo de duas vidas.
Qual será o destino de Elisabeth?
Uma história que todos devem ler.
Casa de Livro Recomenda.

 

Titulo: O Simpósio - Risíveis Amores
Autor: Milan Kundera
Páginas: 236
Ano: 1987
Editora: Nova Fronteira

Boa Leitura
Casa de Livro

Karina Belo.



O chefe dirigiu-se de novo a Fleischman: - Se fôssemos responsáveis apenas pelas coisas de que somos conscientes os imbecis seriam absolvidos antecipadamente de todas as faltas. Acontece, meu caro Fleischman, que o homem é obrigado a saber. O homem é responsável pela própria ignorância. A ignorância é uma falta. Por isso nada pode absolver você de sua falta, e declaro que você se comporta como um malandro com as mulheres, mesmo que o negue.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente: