29 de mai de 2012

Jon Krakauer – NO AR RAREFEITO



Relato da tragédia que ocorreu no Everest em 1996,  muita tensão, suspense, catástrofes,  temperaturas abaixo de -50º. História verídica que se passou em um dos lugares mais inóspitos da Terra. Jon Krakauer  integrante de uma das expedições comerciais,  no ano citado acima.
Na condição de repórter e alpinista contratado pela revista Outside, pioneira em montanhismo, Krakauer nos traz um relato emocionante, e a cada capítulo nos transporta progressivamente, metro a metro, até chegarmos no pico mais alto do mundo, aos 8848 metros de altitude do Magnífico EVEREST.
Krakauer nos traz também histórias paralelas de outros tempos na montanha que antecederam a sua expedição, ajudando-nos a conhecer um pouco de tudo que envolve o local, e nos faz conhecer um pouco mais sobre esse grande desafio que é escalar o temido Everest.
Ao ler No Ar Rarefeito, vamos ter a interessante experiência de conhecer sobre os Sherpas, nativos dessa região montanhosa do Nepal, que vivem no alto do Himalaia. Nota-se que esse povo é digno de um valor incomensurável para os primeiros exploradores da região do Himalaia. Que muita das vezes foram e são até hoje responsáveis pelo sucesso de muitas expedições rumo ao pico. Sabia-se que era dificílima a escalada rumo ao famoso cume, mas sinceramente leitores, eu não tinha ideia de quanto. Krakauer nos passa realmente a  cada página o quão difícil é, situação na qual o homem é levado ao seu extremo psicológico e físico.  No livro você acompanha cada metro da subida, torcendo, emocionando-se. A obra nos traz momentos de amargura e tristeza, sem exageros o Best Seller  de Krakauer gera uma certa comoção no leitor. Sem final feliz, porém com o gosto de missão realizada. O escritor foi muito bem sucedido na obra. Um tema difícil e polêmico, que até hoje gera controvérsias.
Um verídica aventura de grande risco, a mais perigosa que tive a oportunidade de ler,  o escritor consegue passar a sensação de frio, medo, pânico. Escalar o Everest é um investimento de altíssimo custo, e as altas cifras pagas, não garantem o alcance do cume, aonde o extremo esforço físico, está sempre além dos limites. O Everest é um duro oponente, muito mistificado pelos Nativos, é a natureza em sua forma mais severa.  A Montanha tem vida, movimenta-se literalmente. Você deve analisar  cada passo dado desde o início. Prever o que pode ser o fim, e um pequeno momento de negligência por mínimo que seja, pode significar o final de sua jornada.
São inúmeros os fatores que dificultam a subida, todos muito bem descritos pelo autor, o ar rarefeito, os riscos eminentes a cada instante, são uns dos pontos fortes da obra, o autor detalhou muito bem cada etapa, os primeiros passos rumo ao acampamento base, seguido do processo de  aclimatizar os alpinistas em cada posto,  descrevendo todo os trechos da subida, nos conta tudo de uma maneira bem detalhada como funciona todo o processo de escalada, na qual duraram penosos três meses, vivendo na montanha que não permite erros, castiga e pune com a morte.
Após alcançar o cume, durante a descida ao acampamento, nove alpinistas de quatro expedições distintas morreram, e até o termino daquele mesmo mês, outros três não resistiriam.. Jon Krakauer vivenciou tudo, fortemente abalado pela tragédia,  e obcecado em repassar todos os acontecimentos,  escreveu o Best seller,  No Ar Rarefeito,  um relato comovente, emocionante, sobre o entorpecimento supremo que o EVEREST exerce sobre vida das pessoas.

Porque escalar o Everest?

Mas então o que faz alguém ter esse desejo?

Qual o poder de um sonho?

O que traz sentido a vida?

Descubra o quanto vale essa realização.

Um banquete exorbitante para quem gosta de esportes e aventuras, leitura obrigatória a esse público.

Casa de Livro recomenda!

Titulo:  No Ar Rarefeito
Titulo original: Into Thin Air
A Personal account of the mount. Everest  disaster
Ano: 1997
Páginas: 287
Editora : Companhia das Letras
Compra Submarino

Boa Leitura

Casa de Livro Blog

Sidney Matias




O Everest tem atraído seu quinhão de homens assim. A experiência que têm em alpinismo costuma ser nula ou muito escassa - com certeza nenhum deles tem o tipo de experiência que tornaria uma escalada do Everest uma meta razoável. Porém, possuem três coisas em comum: fé em si mesmos, grande determinação e poder de resistência."  
Walt Unsworth, "Everest"


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente: