14 de dez de 2012

E.L.James - CINQUENTA TONS MAIS ESCUROS


Olá Leitores da Casa de Livro.
Que tal falarmos sobre mais um romance picante?
Hoje vamos comentar sobre uma obra polêmica, eu cheguei a presenciar algumas pessoas criticando a trilogia cinquenta tons de cinza, e o que mais chocou é que essas pessoas nem sequer haviam lido tal obra.
Eu, como uma viciada em livros, darei minha opinião!
Creio que nenhuma obra deva ser criticada, e sim comentada, expondo seus pontos positivos e também os negativos.
Todo livro, independente de seu conteúdo, é válido ler. E vamos ser sinceros, a jogada de marketing da autora E.L.James foi ótima. Fora a cultura literária presente ali, E.L.James faz referencia a clássicos da literatura e comenta também sobre muitos autores incríveis. Então antes de criticarmos negativamente, qualquer obra, vamos analisá-la corretamente.
Comentaremos, relembrando um pouco sobre cinquenta tons de cinza, onde Christian Grey conhece Anastasia Steele, e luta para que ela vire sua submissa. No começo da obra tudo é muito vago, e os sentimentos que os personagens sentem um pelo outro são mega distintos. E.L. James foi incrível, o primeiro livro ela colocou muito sexo sim, chegou até a nos chocar em certos momentos com sua riqueza em detalhes, e realmente nos fez refletir, nos perguntar... “Qual é a história desse livro?”, “Porque Grey se comporta de tal forma?”, mas o primeiro livro ela não deu essas respostas,  não nos deu detalhes da verdadeira história, a autora explorou um assunto polêmico como sexo para formar e reter seus fãs, formar um público que irá seguir sua obra, mas não podemos esquecer que estamos falando de uma trilogia, e é aqui que cinquenta tons mais escuros faz sua parte, e tira o fôlego de todos os leitores.
Christian Grey, um rapaz lindo e muito rico que tem o mundo em suas mãos. Controlador, ele só conhece o lado negro da vida. Amor? Esse é um sentimento que ele diz não merecer. Medo? Ah o medo, esse sentimento ele conhece, e muito bem.
Anastasia Steele, garota meiga, inteligente. Amor? Ela não conhece muito bem, uma área que ela esta desvendando aos poucos. Medo? Ela não sentia, até conhecer Christian Grey. 
Como comentamos, no primeiro livro da trilogia, Christian deseja Ana apenas como submissa. Ele só quer prazer e isso só é possível fazendo-a sofrer. Mas Ana é teimosa, ela é a única mulher que foi capaz de enfrentá-lo e talvez a única capaz de fazer Christian se sentir amado e também de fazê-lo amar.
Mas porque ele tem essa necessidade de dominar? 
De causar dor?
Qual é o segredo de Christian Grey?
Quando Ana leva uma surra de Christian no quarto vermelho da dor, ela começa a repensar sua decisão, ela não deseja apanhar, sofrer, ser tratada como um objeto que Christian usa como e quando quer. Ela deseja, e merece mais. Merece um amor de verdade. Sexo sacana? É claro que Ana quer, e gosta, mas também precisa de mais.
Após ser submetida a tamanha dor física e emocional, ela abandona Christian, por mais que o ame, ele precisa de um tratamento, se ele deseja ficar com ela precisará mudar.
Como Grey irá mudar? Seria possível?
Se tortura é a única coisa que ele conhece...
Mas os dias passam e ele percebe que é impossível viver sem Ana, ele voltou a ter pesadelos e percebeu que o sentimento para com ela é mais forte do que ele podia imaginar. É algo que não pode ser tratado como um contrato.
Ana também sofre, ela ama Christian de todo o coração, ele é seu único e verdadeiro amor. A tristeza é tão visível que nem ela mesma se reconhece quando vê seu reflexo no espelho.
Mas essa tortura, essa dor, passará. Ela não pode viver com ele, não em condições contratuais.
Mas ele volta a procurá-la, promete mudar, aos poucos ele vai se abrindo com Ana, e vamos conhecendo um pouquinho sobre Christian Grey.
Pela primeira vez Christian quer um relacionamento de verdade, sem contrato, sem tempo determinado, sem dor.
Quando Leila, sua ex-submissa coloca em risco a vida de Anastasia, ele fica tão amedrontado, sabe que se algo acontecer ele perde o chão, e então se dá conta de que realmente ama Anastasia Steele.
Mas vamos ao que todos acabaram se perguntando em algum momento da obra. Porque Christian Grey é masoquista afinal? Porque Ana não pode tocá-lo? Porque tanta dor?
E nesse momento E.L James nos leva para o mundo de um garoto de quatro anos de idade, Christian. Sua mãe era uma prostituta e drogada. Viviam em um  cubículo, um único cômodo. O garoto via o cafetão de sua mãe a espancando, provocando dor. Ele também batia em Christian, e apagava os cigarros no corpo do garoto, principalmente no peito. Christian viu sua mãe morrer, passou quatro dias trancado naquele cômodo até ser encontrado pela polícia. Foi adotado pela Dra. Grey, passou dias sem falar, e só voltou a ser um garoto razoavelmente normal quando Mia, sua irmã também adotiva, foi levada para casa.
Quando Ana o tocava era como se toda aquela dor causada em sua infância voltasse à tona.
Mas ele precisa aprender algumas coisas sobre o amor, ele precisa se permitir, deixar-se amar e ser amado.
Mas a relação desses dois não será nada tranquila.
Mesmo com toda carga emocional, destrutiva de Christian, Ana decide tentar, ela irá ajudá-lo.
Mas será que conseguirá conviver com as ex-submissas que atormentam?
E Elena? Ana conseguirá passar por cima dela também?
Elena foi dominadora de Christian, ela que ensinou a ele tudo o que sabe, ela que o machucou, que o ensinou a ser vazio, a provocar dor. E Ana a odeia mais que tudo no mundo.
Tudo isso virá à tona.
A família dele irá saber.
Ele se vingará?
E Ana, irá viver ao lado de Christian?
Agora que ele declarou que a ama. Pediu Ana em casamento. Aprendeu a conviver com o amor, com o toque dela, e que se libertou de uma parte de seu passado. Mesmo assim, a felicidade é possível?
Christian precisa de Ana ao seu lado. Ela é sua luz, a sua salvadora.
Ana irá se casar com Christian?
Após o pedido, o silêncio dela o apavora!
Conseguirá enfrentar a raiva e a inveja das mulheres que a precederam no coração ou na cama de Grey?
Cinquenta tons mais escuros é a perfeita continuação de cinquenta tons de cinza, que nos choca do começo ao fim.
 
Parabéns pelo primeiro dia no trabalho. Espero que tenha corrido tudo bem. E obrigado pelo planador. Foi muito gentil de sua parte.
Reservei um lugar especial para ele em minha mesa.

 Christian.


Titulo: Cinquenta tons mais Escuros.
Titulo Original: Fifty Shades Darker.
Autora: E.L.James
Ano: 2011
Páginas: 512
Editora: Intrínseca. 

Boa Leitura.

Casa de Livro Blog

Karina Belo

                         


 - E as regras?
- Nada de Regras!
- Nenhuma regra? Mas você tem suas necessidades.
- Preciso mais de você do que delas, Anastasia. Estes últimos dias têm sido um inferno. Todos os meus instintos dizem para deixar você ir, que eu não mereço você. As fotos que aquele cara tirou... Eu vejo como ele a enxerga. Você parece tão despreocupada e bonita, não que não esteja bonita agora, mas aqui esta você. Eu vejo a sua dor. E é difícil saber que fui eu que fiz você se sentir assim. Mas eu sou um sujeito egoísta. Eu quis você desde que caiu em meu escritório. Você é delicada, honesta, afetuosa, forte, inteligente, inocente de um modo sedutor, a lista é interminável. Você me deixa bobo. Eu quero você, e a ideia de que outra pessoa possa possuir você é como uma faca perfurando minha alma negra.

 As Aparências enganam – diz ele, baixinho. – não estou nem um pouco bem. Eu sinto como se o sol tivesse se posto e não tivesse nascido por cinco dias, Ana. Estou vivendo uma noite infinita.
  - Está revirando os olhos para mim?
- Estou?
- Isso é uma grosseria, Sr. Grey. Conheço algumas pessoas que ficam realmente violentas diante de um revirar de olhos.
- Ah, conhece é? – seu tom é irônico.
 ... – Eu o quero para mim, por inteiro. Você é um homem bom, Christian, um homem muito bom. Nunca duvide disso. Olhe para o que você fez... O que você conquistou – soluço. – Olhe o que você fez por mim... O que você deixou para trás, por mim – sussurro. – Eu sei. Eu sei o que você sente por mim.
Ele me olha, os olhos arregalados e em pânico, e tudo o que podemos ouvir é o fluxo contínuo da água que flui sobre nós no chuveiro.
- Você me ama – digo.
Seus olhos se arregalam ainda mais, e sua boca se abre. Ele inspira fundo, como se tomasse fôlego. E parece torturado, vulnerável.
- Sim – murmura. – Amo. 

 - Não vou tocar em você. Só quero abrir sua camisa. – sussurro.
Ele arregala os olhos e me encara assustado. Mas não se move nem me interrompe. Muito lentamente, abro o botão, mantendo o tecido longe de sua pele, e desço a mão com cuidado até o próximo botão, repetindo o processo devagar, concentrando-me no que estou fazendo.


...- Christian... Eu... – Faço um esforço enorme para estruturas as ideias.

O que estou tentando dizer? Preciso de tempo, tempo para assimilar isso. Só me dê um pouco de tempo.
- Não. Não! – diz ele.
-Eu...
Ele corre o olhar ao redor da sala, agitado. Procurando por inspiração? Por intervenção divina? Não sei.
- Você não pode ir. Ana eu amo você!
- Eu também amo você Christian, é só que...
- Não... Não! – diz ele, desesperado, e leva às mãos à cabeça.
- Christian...
- Não – sussurra ele, os olhos arregalados de pânico, e , de repente, ele está de joelhos diante de mim, a cabeça abaixada, as mãos espalmadas nas coxas. Ele respira fundo e não se move.
O que?
- Christina, o que você está fazendo?
Ele continua a olhar para o chão, sem erguer os olhos para mim.
- Christian! O que você está fazendo? – repito, numa voz aguda. Ele não se move. – Christian, olhe para mim! – ordeno, em pânico.
Ele ergue a cabeça, sem qualquer hesitação, e me encara passivo com seus olhos frios e cinzentos... Está quase sereno, em expectativa.
Puta merda... Christian. O Submisso.
Ele sorri, aliviado, e, lentamente, desliza a aliança pelo meu dedo. É linda, um diamante oval num anel de platina. Uau, o diamante é enorme... Grande, mas simples e deslumbrante em sua simplicidade.
Fico de joelhos diante dele, os dedos em seus cabelos, e o beijo, como todo o meu coração e toda a minha alma. Beijo esse homem lindo, que me ama da mesma forma que eu o amo, e ele me envolve em seus braços, suas mãos subindo até os meus cabelos, sua boca na minha. Sei, no fundo, que sempre serei sua, e ele sempre será meu. Percorremos um longo caminho juntos, e ainda temos muito que caminhar, mas somos feitos um para o outro. Somos almas gêmeas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente: