7 de jul de 2013

A SENHORA DO JOGO – SIDNEY SHELDON

Há todos os fãs do incrível Sidney Sheldon, hoje iremos comentar sobre uma obra aclamada. Mesmo não sendo totalmente escrita por ele, é maravilhosa e dá sequência a um dos seus mais belos romances.
A Senhora do Jogo, uma obra que teve a colaboração da escritora Tilly Bagshawe, para ser finalizada, é a mais recente publicação que leva o nome do mestre Sidney Sheldon.
Na obra aqui descrita, iremos reencontrar personagens que nos fizeram vibrar em outras obras, e iremos conhecer personagens que nos conquistaram eternamente.
Sequência do livro, O Reverso da Medalha, também já comentado aqui no blog Casa de Livro. A Senhora do Jogo nos conta a história dos jovens herdeiros de Kate Blackwell. Os primos Max Webster e Lexi Templeton.
Max é filho da diabólica Eve Blackwell, que já deu muito trabalho para sua família, e já chocou vários leitores.
Lexi é filha de Alexandra Blackwell, que é doce, meiga e muito ingênua, que já sofreu horrores nas mãos da maquiavélica irmã. Ambas netas da poderosa Kate, que foi nossa heroína em O Reverso da Medalha, criadora de todo o império de diamantes. A multinacional Kruger-Brent.
A Senhora do Jogo nos conta o embate de Max e Lexi em assumir o controle da Kruger-Brent nem que para isso tenha de chegar às últimas consequências, até mesmo matar.
Max foi criado por uma mãe que nunca o amou verdadeiramente. Eve praticamente programou seu filho para matar. Completamente apaixonado pela mãe, ele é capaz de tudo por ela. Isso se torna até uma incógnita no livro. Os sentimentos de Max por Eve são ambíguos, deixando assim, a obra muito mais interessante.
Por outro lado temos a mimada Lexi, sempre muito amada pelos seus pais e por seu irmão Robbie.
Robbie nunca foi interessado nos negócios da família, ele é um homossexual e um talentoso pianista, que deseja ter seu nome reconhecido através da sua música. 
Porém enquanto Max planeja ataques cruéis contra sua prima Lexi, uma figura misteriosa entra em cena. Gabriel McGregor.
Gabriel é descendente do bisavô de Kate. O esperto e sedutor McGregor, criado na região da escócia está determinado a cumprir seu destino, uma jornada que o conduzirá ao centro do império Kruger-Brent. Ele entrou na jogo para ganhar.
Quem irá assumir o comando da companhia?
Nessa família repleta de segredos, assassinatos, identidades secretas, conspirações, e depravado senso moral. Vencer o jogo é a única garantia de sobrevivência.
Quem será o sucessor de Kate Blackwell na Kruger-Brent?
Quais serão os planos de Lexi?
Lexi suportará lutar contra dois poderosos homens?
O furacão Kruger-Brent irá balançar a todos.
Três jovens com o mesmo objetivo.
Mais uma história magnífica, onde matar é a única opção.
Agora que a guerra foi declarada, os herdeiros não se importam com as armas que irão usar com o intuito de destruir ao outro. Destruir corações é pouco, quando vidas são destruídas, mas para eles tudo vale, quando ser presidente da empresa de Kate é o prêmio.
A senhora do Jogo também irá dominar você.
Casa de Livro Recomenda.


Como podem esperar que me preocupe com o meu futuro se não consigo compreender o meu presente? Nem sei quem sou eu!
                                 

Titulo: A Senhora do Jogo.
Titulo Original: Mistress Of The Game.
Autor: Sidney Sheldon / Tilly Bagshawe
Ano: 2009
Páginas: 480
Editora: Record.

Boa Leitura.

Casa de Livro Blog.


Karina Belo


A teia esta se fechando.
Lexi sentiu o medo revirar seu estômago como leite estragado.
Tem de haver um jeito de sair dessa. Sempre existe um jeito. Eu não vou para a prisão.
Não vou perder a Kruger-Brent.
Não vou perder a minha família.
 

O porto está morto.
Os joelhos de Lexi ficaram fracos e ela caiu sentada no vaso sanitário, lágrimas escorrendo por seu rosto.
Durante anos, permitiu-se acreditar que se esqueceria dos fantasmas de sua infância e das coisas terríveis que lhe aconteceram. Agora ela  viu que era apenas uma fantasia.
A dor sempre estaria ali. Sempre.
Nunca teria fim. Não nesta vida.
Só vingança.
Lexi saboreou o gosto doce por alguns preciosos momentos. Depois enxugou as lágrimas, apagou a mensagem de seu telefone e voltou para sua sala como se nada tivesse acontecido.

 

Lexi esperou as portas do elevador se fecharem antes de relaxar os punhos. Sangue pingava de sua mão, onde ela cravara as próprias unhas na carne.
Boa sorte, Max.
Boa sorte, Judas, seu traidor filho da puta.
Lembrou-se da época em que estudou a Bíblia.
“E Jesus disse: Em verdade, vos digo, um de vós me há de trair. Infeliz desse homem, o traidor!”
 
Seria melhor para ele nunca ter nascido.
Lexi ia fazer com que Max desejasse nunca ter nascido.
Seu primo ganhara a batalha.

Mas a Guerra só estava começando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente: