3 de jan de 2014

A CULPA É DAS ESTRELAS – (John Green)


John Green foi consagrado pelo sucesso através da obra intitulada “A Culpa é das Estrelas”. Um livro fantástico escrito com uma leveza impressionante, que nos emociona, diverte e contagia.
Contando a história de amor de Hazel Grace e Augustus Waters, Green conseguiu mostrar o quão importante é o apoio dos familiares e da amizade em todos os momentos de nossa vida.
Hazel é uma garota inteligente, num estado terminal de câncer. Não pode respirar sozinha e fica vinte e quatro horas por dia ligada a aparelhos que bombeiam oxigênio ao seu corpo. Mas ela não esta abalada com essa vida, triste sim. Em saber que poderá deixar seus pais sozinhos, que não irá vivenciar certos momentos ao lado deles, que pode deixá-lo com o coração partido eternamente. Mas ela luta pela sua vida, ela vive de acordo com sua saúde fragilizada.
Porém sua história toma um novo rumo, quando no Grupo de Apoio que a mesma frequenta, ela conhece Augustus Waters.

Gus, como era chamado carinhosamente, sempre foi um garoto extrovertido. Atraente e sensivelmente bem humorado, também é vítima do câncer.
Augustos teve sua vida “acabada” de um dia para o outro. Um grande jogador de basquete de sua escola. O câncer tirou tudo dele, amputou uma perna, o que o impossibilitou de jogar, e nunca mais foi curado totalmente.
Quando se conheceram, Gus se encantou por ela instantaneamente, e mesmo achando-o convencido, Hazel decidiu dar uma chance para tal amizade.
Amigos inseparáveis se tornaram. Trocaram experiências, dividiram sonhos e vontades.
Os sentimentos foram crescendo, e nascendo um amor puro de uma forma linda. Hazel não queria se envolver, ela lutou de todas as formas possíveis para não se apaixonar, e não deixar que Augustus se apaixonasse. Ela era doente, uma garota que estava à beira da morte. Uma granada pronta para explodir e deixar vítimas de sua existência. Gus já havia passado por muitas dores, sua própria ex-namorada também foi morta pelo câncer. Não era justo para com ele, não era justo fazê-lo sofrer.
Mas Hazel não podia imaginar o que o destino lhe reservava...



Uma grande fã da literatura em si, o seu livro favorito era Uma Aflição Imperial. A obra conta a história de uma garota com câncer, contando sua vida nas páginas de um livro, mas que não tem um fim, a personagem morre antes de terminar. Hazel fica anos tentando entender o que acontece com os personagens, e quando mostra o livro à Gus, ele tem o mesmo sentimento e vontade de descobrir a continuação, quanto ela.
Juntos então correm atrás de descobrir o que acontece na trama. Augustus descobre o endereço do autor, trocam alguns emails e viajam até um país desconhecido até então para encontrá-lo. Aventuras impressionantes os aguardam, momentos de ternura e de amor incondicional.
Em tal viagem Hazel descobre que não pode lutar contra seus sentimentos, que não pode lutar contra um amor verdadeiro.
Gus faz de tudo por ela, e deseja mais que tudo viver essa história com Hazel Grace.
Vivem juntos, a mais bela história de amor.
Até Hazel descobrir, que Gus encontra-se totalmente tomado pelo câncer, e que precisa de tratamentos que irão transformá-lo em um garoto sem vida.
Juntos se apoiam, se divertem. Hazel passa todos os dias, os últimos da vida deles, ao lado de Gus. Ao lado de seu único e verdadeiro amor.
Sentem-se feliz, por terem conhecido um ao outro. Por terem experimentado de um amor tão especial, de terem feito parte da história, que Hazel levará em seu coração enquanto viver.
Uma história de amor sublime, e encantadora.
John Green soube trabalhar perfeitamente momentos e assuntos adolescentes, misturados com uma filosofia rica e esplendorosa.

Gus e Hazel conseguirão realizar seus sonhos?
Qual será o final de Uma Aflição Imperial?
A Culpa é das Estrelas, nos conta uma história maravilhosa, com momentos inesquecíveis, que você não pode deixar de ler.
Casa de Livro Recomenda.

“Eu queria mais números do que provavelmente vou ter.”



Titulo: A Culpa é das Estrelas.
Titulo Original: The Fault in Ours Stars
Autor: John Green
Ano: 2012
Páginas: 288
Editora: Intrínseca

Boa Leitura.
Casa de Livro.


Karina Belo.



Faltando pouco para eu completar meu décimo sétimo ano de vida minha mãe resolveu que eu estava deprimida, provavelmente porque quase nunca saía de casa, passava horas na cama, lia o mesmo livro várias vezes, raramente comia e dedicava grande parte do meu abundante tempo livre pensando na morte. Sempre que você lê um folheto, uma página de internet ou sei lá o que mais sobre câncer, a depressão aparece na lista dos efeitos colaterais. Só que na verdade, ela não é um efeito colateral do câncer. É um efeito colateral de se estar morrendo. (O câncer também é um efeito colateral de se estar morrendo. Quase tudo é, na verdade).



"As vezes o universo quer ser notado." É nisso que eu acredito. Acredito que o universo quer ser notado. Acho que o universo é, questionavelmente, tendencioso para a consciência, que premia a inteligência em parte porque gosta que sua elegância seja observada. E quem sou eu, vivendo no meio da história, para dizer ao universo que ele, ou a minha observação dele, é temporária?




Não sou formada em matemática,mas sei de uma coisa:existe uma quantidade infinita de números entre 0 e 1.Tem o 0,1 e o 0,2 e o 0,112 e uma infinidade de outros.Obviamente,existe um conjunto ainda maior entre o 0 e 2,ou entre 0 e 1 milhão.Alguns infinitos são maiores que outros...Há dias,muitos deles,em que fico zangada com o tamanho do meu conjunto limitado.Eu queria mais números do que provavelmente vou ter.




Parecia que tinha sido,tipo,há uma eternidade,
como se tivéssemos vivido uma breve,mas infinita,

eternidade.Alguns infinitos são maiores que outros.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente: