9 de out de 2012

Ao livro com amor



 

Ao livro com amor

 

Não vivo mais sem você

Meu encanto, meu passaporte universal

Não há palavras dentro de tuas palavras

Que sejam capazes de decifrar e codificar

O que me causas, meu alento, minha vida...

És minha munição na guerra

Que travo diariamente contra

As agruras e tempestades da vida.

És minha cápsula, minha pílula de sonhos

Contigo viajo, devaneio, me enfeitiço,

Sinto-me senhor absoluto de mim mesmo.

Em tuas páginas sinto cheiros, frio, calor...

Ouço ribombar de canhões presos

Nas páginas negras da humanidade.

Em tuas páginas senti-me confortável

No seio cálido de Afrodite

Enquanto Orfeu tocava sua lira

E Zeus possuía mais uma mortal.

A ti livro, sou grato

Pois em ti aprendi a ler

A escrever, a viver

E em ti aprendi a morrer

Para, a cada nascer do sol

Renascer..







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente: