23 de mai de 2013

Onze grandes escritores que já foram presos!

 
ONZE GRANDES ESCRITORES
 QUE JÁ FORAM PRESOS

Foram muitas as "oportunidades" em que a prisão trouxe a inspiração ou de alguma forma marcou a vida de muitos escritores, casa de livro fez uma seleção com 11 deles.  


Henry David Thoreau

Thoreau decidira não pagar impostos porque acreditava ser errado dar dinheiro aos EUA, um país escravocrata e em guerra contra o México. Não querendo financiar nem a escravidão nem a guerra, Thoreau foi preso enquanto se dirigia ao sapateiro local, foi abordado e preso e após solto
retornou lá para realizar sua pequena missão (pegar seu sapato).
A tia de Thoreau pagou a fiança e ele foi solto na manhã do dia seguinte. Inspirado pela noite na prisão, Thoreau escreveu o famoso A Desobediência Civil. Leon Tolstói, um dos mais famosos escritores do mundo venerava este ensaio e o recomendou, por carta, a um jovem indiano preso na
África do Sul. Este jovem indiano era Mahatma Gandhi.

                             
 Luís de Camões

Diz-se que, por conta de um amor frustrado, se autoexilou em África, alistado como militar, onde perdeu um olho em batalha. Voltando a Portugal, feriu um servo do Paço e foi preso. Perdoado, partiu para o Oriente. Passando lá vários anos, enfrentou uma série de adversidades, foi preso várias vezes, combateu ao lado das forças portuguesas e escreveu a sua obra mais conhecida, a epopeia nacionalista Os Lusíadas.
         
 Oscar Wilde
O célebre escritor irlandês Oscar Wilde é preso em 6 de abril de 1895 após "cometer atos imorais com diversos rapazes", em consequência de uma acusação feita pelo 9º marquês de Queensberry, John Douglas.
Desde 1891, Wilde (à esquerda na foto abaixo) estava envolvido afetivamente com o lorde Alfred
Douglas (ao lado do escritor), poeta e tradutor inglês, filho do marquês. Foi então que o marquês, reprovando a relação com seu filho, denunciou o escritor por manter relações homossexuais – na época, considerada um crime na Inglaterra.
                               
Dostoiévski
A principal acusação contra Dostoiévski foi por ter lido em público, em duas ocasiões, uma carta aberta de Bielínski, então falecido, ao escritor Nikolai Gogol, em que o escritor é criticado por suas visões políticas e sociais conservadoras.
O Círculo Petrashevsky era dedicado principalmente à discussão das condições de vida na Rússia,
centrada nas obras da imensa biblioteca de obras proibidas de Petrashevsky, obras que, segundo os registros da sociedade, Dostoiévski consultou em várias ocasiões.
Em 23 de abril de 1849, ele e os outros membros do Círculo Petrashevski foram presos. Dostoiévski
passou oito meses na Fortaleza de Pedro e Paulo até que, em 22 de dezembro, a sentença de morte por fuzilamento foi anunciada. Em 23 de dezembro, os membros foram levados ao lugar da execução, e três membros do grupo, inclusive o próprio Petrashevski, foram amarrados aos postes em frente ao pelotão. Dostoiévski era um dos próximos, e se lembrou, posteriormente, de ter dividido seu tempo para se despedir dos amigos e refletir sobre sua vida. Quando disse a Nikolai Spechniev, que se encontrava atrás dele, "Nós estaremos com Cristo", o revolucionário respondeu "Um pouco de poeira". Antes da ordem para o fuzilamento, chegou uma ordem do Czar para que a pena fosse comutada para prisão com trabalhos forçados e exílio. Depois os membros souberam que a ordem havia sido assinada há dias, mas que o Czar exigira a falsa execução como uma punição a mais. Dostoiévski recebeu os grilhões e partiu para o exílio na noite de Natal. Todos esses fatos foram contados pelo escritor em uma carta a seu irmão Mikhail Dostoiévski, na qual ele faz várias referências a obra Os Últimos Dias de um Condenado à Morte, de Victor Hugo.


 Monteiro Lobato

O autor vende a fazenda e muda-se para Nova York por quatro anos, entre 1927 a 1931, onde se surpreende com a exploração dos recursos minerais. Ao retornar para o Brasil funda o Sindicato do Ferro e a Cia. Petróleos do Brasil e passa a apoiar a extração do petróleo do subsolo brasileiro. Diante da sua revolta quanto à monopolização do petróleo por empresas privadas, escreve o livro O escândalo do petróleo. Contudo, Lobato foi preso por seis meses no governo de Getúlio Vargas por debater os interesses nacionais e pela exposição a respeito da cultura nacional.
                                  

Cervantes

Um dos maiores escritores da literatura mundial passou por problemas depois de serem encontradas discrepâncias em suas contas, o que lhe rendeu a cadeia em Sevilla. E na prisão deu inicio ao "Clássico Don Quixote".


Jorge Amado


Um dos escritores brasileiros mais traduzidos pelo mundo, diz-se também que foi um dos mais espionados por causa de sua ligação com o comunismo. Esteve preso entre os anos de 1936 e 1937 por se opor ao "Estado Novo".

  
Ken Kesey

Considerado por alguns um elo entre a geração beat e os hippies foi preso por posse de maconha em 1965. Em uma tentativa de enganar a polícia, ele chegou a simular seu próprio suicídio.


Graciliano Ramos
Outro escritor brasileiro a ser detido por causa da ligação com o partido comunista. Detido foi enviado ao Rio de Janeiro no porão de um navio, onde foi encarcerado. Da prisão nasceu o livro Memórias do Cárcere, onde relatou os acontecimentos da sua vida e dos presos pelo "Estado Novo."


Adolf Hitler
  
Em 1923 Hitler e seu Partido Nazista contra o governo da região alemã da Baviera, ocorrida em 9 de novembro de 1923. O objetivo do partido era tomar as rédeas do governo bávaro para, em seguida, tentar abocanhar o poder em todo o país. Mas a tresloucada ação foi rapidamente controlada pela polícia bávara, sendo que Hitler e vários correligionários – entre eles Rudolf Hess – acabaram presos.
E antes e se tornar o maior tirano da história, durante os anos em que ficou preso escreveu Mein Kampf (minha luta), considerada a bíblia do nazismo.


Boa Leitura.

Casa de Livro Blog.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente: