30 de nov de 2012

Nicholas Sparks - O CASAMENTO

Olá Pessoal.
Hoje iremos comentar sobre mais uma obra do autor Nicholas Sparks. Deu pra perceber que não paramos de publicar resenhas de seus livros aqui no blog Casa de Livro, né? Mas não tem como não ler as histórias desse grande mestre do romance, ele é incrível e quando você acha que já leu todas as suas obras publicadas, ele lança mais três assim, de uma vez. Enfim vamos falar um pouco hoje sobre um de seus lançamentos: O Casamento.
Pra quem não leu Diário de uma Paixão, aqui no blog já temos a resenha para que vocês possam entender sobre o que vamos falar hoje.
O Casamento é uma emocionante sequência de Diário de uma Paixão, vamos comentar agora sobre um homem que luta para reconquistar seu grande amor.
Só relembrando algumas coisas, na obra em que Nicholas Sparks nos apresenta Noah e Allie, ele nos conta uma incrível história de amor. Diário de uma Paixão emociona do começa ao fim. Dois jovens que foram separados, mas que não deixaram de se amar. Um amor que irá durar para todo sempre.
Quando Allie ficou doente, e não se lembrava de seu marido e nem de seus filhos, foi Noah quem ficou ao lado dela em todos os momentos, relembrando sua história de amor, para que ela pudesse se apaixonar por ele todos os dias novamente. Noah lia seu diário para a esposa todos os dias, diário esse que continha os segredos, e sentimentos mais sinceros que os dois compartilharam durante a vida.
Já em O Casamento, Nicholas Sparks irá nos contar a vida de Jane, filha de Noah e Allie, e assim como a história de seus pais irá nos surpreender.
Wilson Lewis é um jovem estudante de direito, muito ambicioso, e que passa horas e horas estudando para conseguir se tornar um advogado de renome. E durante uma tarde de estudo em um café ele conheceu Jane.
Jane é linda, e ele se apaixonou instantaneamente por ela, mas sempre muito tímido nunca conseguiu conversar com tal moça, até que a mesma tomou a iniciativa.
Era uma tarde chuvosa quando Jane perguntou se Wilson não poderia levá-la até seu carro, ele era um cliente do café onde ela trabalha e como já havia percebido ele ia sempre se sentar no mesmo lugar para ser atendido por Jane, e claro ele estava com guarda-chuva.
Jane também se interessou por Wilson, mas ele sempre foi muito tímido, e ela sempre sonhou com um romance como os que seus pais viveram. Jane tinha que entender que os homens não são todos iguais, que Wil iria amá-la a seu modo.
O namoro dos dois foi um pouco tumultuado, Wilson estudando em outra cidade, não tinha tanto tempo para passar com ela. E ele era tão focado no que queria que acabava passando meses sem ver Jane.
Ela por outro lado entendia, amava Wilson e sabia que todo o esforço que ele estava fazendo era pra poder sustentar uma família e também para ficar mais tempo com ela, pelo menos Jane pensava que quando eles se casassem passariam mais tempo juntos, mas será que isso aconteceria?
Eles se casaram...
Wilson no começo era atencioso, ele lutou para terminar a casa em que moram e dar de presente a Jane no seu primeiro aniversário de casamento.
Ele esteve ao seu lado nos momentos bons, nos ruins. Wilson mudou muito a sua vida depois que conheceu Jane, e fez muitas, muitas coisas por ela.
Mas quando os filhos vieram ele voltou a ser fechado, trancado em seu escritório. Ele vivia para o trabalho, até em casa ele vivia trabalhando.
Eles tiveram três filhos. Anna, Joseph, Leslie.
Ele não viu nenhum dar os primeiros passos.
Ele não ouviu de  nenhum suas as primeiras palavras.
Ele nunca esteve ao lado de seus filhos no primeiro dia de aula.
Wilson sempre deu tudo de si para a família, conforto, dinheiro, mas e o amor de pai? E sua atenção? Quantas vezes ele brincou com Joseph? Ou teve uma conversa de pai para filho?
Coisas que Wil perdeu, no começo ele achou que era insignificante, mas agora pensando melhor, olha quantas alegrias ele deixou de viver por conta do trabalho.
Mas as coisas pioraram depois que ele se esqueceu de seu aniversário de casamento de 29 anos.
E agora após quase 30 anos de casamento, Wilson Lewis é obrigado a encarar uma dolorosa verdade: sua esposa Jane, parece ter deixado de amá-lo, e ele é o único culpado disso.
Quando ele esqueceu o aniversário de casamento, ficou sentindo-se culpado.
Jane foi passar uns dias com seu filho em Nova York.
Wil sem saber o que fazer foi pedir ajuda a seu sogro Noah.
Ele queria ser como Noah, mas sinceramente, não sabia como ser tão romântico assim.
Durante a conversa Wil sentiu que Noah não iria ajudá-lo, mas quando chegou em casa percebeu que o sogro deu todas as respostas de que ele precisava.
Agora faltando um ano para seu aniversário de casamento, onde irão completar 30 anos, Wil quer fazer algo especial. Mas para isso ele vai precisar da ajuda de seus filhos, amigos e parentes.
Durante este ano inteiro Wilson recolhe com seus amigos fotos em que ele e Jane estão juntos. Seus filhos ajudam também, e Anna a filha mais velha inventa que irá se casar para que sua mãe possa se manter ocupada ajudando nos preparativos.
Wil tem tudo programado. Não é Anna quem vai se casar , mas Jane sim, ela vai ter o casamento que sempre sonhou o casamento que ele não deu na primeira vez.
Jane irá voltar a amar Wilson da maneira como sempre amou?
Ou Jane nunca deixou de amá-lo?
Wil será capaz de se tornar um novo homem? Bom, ele vem provando que sim. Mas irá reconquistar a sua esposa, seu grande amor?
Sparks escrevendo como sempre com perfeição. A maneira como ele manipula e desenvolve a história nos deixa chocados, e acima de tudo emocionados.
Ahh Nicholas Sparks será que existem homens iguais aos que você escreve?
O Casamento é uma história emocionante, de superação, fé e amor incondicional.
Aliás, é um livro que TODOS os homens deveriam ler.
Nicholas Sparks nos escreveu nesta comovente história de amor sobre um herói imperfeito que tenta corrigir seus erros.

Será possível um homem mudar de verdade? Ou será que o temperamento e os hábitos constituem as fronteiras imutáveis de nossa vida?



Titulo: O Casamento.
Titulo Original: The Wedding
Autor: Nicholas Sparks
Ano: 2003
Páginas: 223
Editora: Arqueiro 

Boa Leitura 

Casa de Livro Blog


Karina Belo


É muito doloroso pensar que sua mulher talvez não o ame mais, e nessa noite, depois de Jane subir para o nosso quarto levando seu perfume novo, passei horas sentado no sofá me perguntando como a situação tinha chegado a esse ponto. A princípio, quis acreditar que ela estivesse só reagindo de forma emotiva e que eu estivesse dando ao incidente muito mais importância do que ele merecia. No entanto, quanto mais refletia sobre o assunto, mais podia sentir não apenas o desagrado dela com o cônjuge distraído, mas vestígios de uma melancolia antiga, como se o meu lapso fosse apenas à gota d’água de uma série muito, muito longa de atitudes descuidadas.
- Wilson, você esta tendo um caso?
- Não, claro que não.
- Tá, vamos lá. Veja a situação com os meus olhos: primeiro você começa a fazer a exercícios e a perder peso. Depois passa a cozinhar e a querer saber como foi o meu dia. Como se isso não bastasse, vem me ajudando de uma forma incrível durante a última semana... Na verdade, tem me ajudado em tudo nos últimos tempos. E agora fica dizendo coisas carinhosas que nunca disse antes. Primeiro achei que fosse uma fase, depois pensei que fosse por causa do casamento de Anna. Mas agora... Bom, é como se você de repente tivesse virado outra pessoa. Pedir desculpas por não passar tempo suficiente em casa? Dizem sem mais nem menos que me ama? Ouvir-me falar sobre roupas durante horas? E esse papo de vamos pedir pizza e nos divertir? Não me leve a mal, é tudo incrível, mas eu só queria ter certeza de que você não está agindo assim porque se sente culpado por alguma coisa. Ainda não entendi que bicho deu em você.
Em pé na varanda, com o outono já adiantado, sinto o ar gelado da noite me revigorar enquanto relembro a festa de nosso casamento. Ainda sou capaz de recobrar cada detalhe, da mesma forma como me lembro de tudo o que ocorreu durante o ano do aniversário de casamento que esqueci.
- Você disse que se casaria comigo de novo, não disse?
Por alguns segundos, pareceu que estávamos sozinhos naquela casa. Enquanto Jane me encarava, relembrei todas as providências que tomara em segredo ao longo do ano anterior – férias no momento certo, o fotógrafo e o bufê que “por acaso” estavam disponíveis, convidados livres no fim de semana, funcionários dispostos a “liberar a agenda” para preparar a casa em poucos dias.
Fora necessários alguns momentos, mas por fim um ar de compreensão começou a tomar conta do semblante de Jane. E quando ela entendeu o que estava acontecendo – e o que significava realmente aquele fim de semana – cravou os olhos nos meus, assombrada e incrédula.
- Meu casamento? – sua voz saiu baixa, quase ofegante.
Assenti.
- O casamento que eu deveria ter dado a você muito tempo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente: